quinta-feira, 3 de junho de 2010

O que você prefere: ter razão ou ser feliz?

Podemos sempre decidir entre uma de duas coisas: ter razão ou ser feliz.
Antes duas historinhas uma a nível pessoal e outra profissional.
 Casal de namorados que serão padrinhos de casamento estão atrasados para a cerimônia religiosa.  Ele conduz o carro. Ela consultou o mapa antes de sair de casa, orienta-o e pede para que vire, na próxima rua, à direita. Ele, porém tem certeza de que é à esquerda. Discutem. Percebendo que além de atrasados, ficariam mal humorados, ela resolve deixar que ele decida. Ele vira à esquerda e percebe, então, que estava errado. Mesmo a contra gosto e sem alternativa, ele admite que insistiu no caminho errado, enquanto faz o retorno. Ela sorri disfarçadamente e diz que não há nenhum problema se chegarem alguns minutos atrasados porque a noiva com certeza também vai se atrasar. Ele, não agüenta e fala: “Porque sorriu se tinhas tanta certeza de que eu estava indo pelo caminho errado, devias ter insistido um pouco mais…”
Na empresa um gerente de vendas solicita ao gerente técnico o acompanhamento de um técnico numa visita a um cliente que faria naquele momento. O gerente técnico estrila dizendo que ele deveria ter solicitado com antecedência e não iria ceder o técnico. O gerente comercial tenta argumentar que o cliente ligou nesse momento solicitando, mas o gerente técnico não cedeu. Percebendo que não já estava se atrasando para a reunião com o cliente e azedaria a relação com a área técnica resolve ir à reunião sem o técnico. No retorno, o gerente técnico pergunta como foi e ele diz que o cliente comprou do concorrente que levou o técnico. Vendo que tinha contribuído para a perda do pedido fala: “Pôh, se você sabia que era fundamental para tirar o pedido devias ter insistido mais”.
Os dois a namorada e o gerente comercial poderiam ter respondido: “Entre ter razão e ser feliz, prefiro ser feliz. Estávamos à beira de uma discussão, se eu insistisse mais, teríamos estragado a relação!”
Quanta energia que normalmente é desperdiçada apenas para demonstrar a posse da razão. Quando discute com a namorada e acabam brigando, ele sempre quer ter razão, mas ela vai embora furiosa e passa três dias sem ligar. Ele fica sozinho em casa, cheio de razão, mas numa tristeza infinita, infelicíssimo. A mesma coisa acontece no plano profissional.
Há muito tempo atrás aprendi uma lição e desisti da idéia de convencer alguém de qualquer coisa. Com minha intuição, experiência e convicções, ofereço minhas opiniões com sinceridade, apresento meus argumentos, me empenho em ser claro e objetivo. Se forem aceitas, ótimo, se não, ótimo também.
Gosto de aprender, não tenho problemas para admitir meus erros e equívocos, não me sinto inferior por não ter razão. Nem culpado por me sentir feliz.
Todo ser humano é complexo, imprevisível e único, e a sensação de felicidade ou infelicidade atingem a todos ricos e pobres, sábios e ignorantes, religiosos e ateus, desde que o mundo é mundo.
Eu quero ser feliz, mas sem perder a razão. Isso não quer dizer que devemos sempre aceitar e nos tornarmos submissos. Se alguém afirmar que a parede é azul quando é amarela e quer ter razão não vou brigar, mas vou colocar um ponto de interrogação na relação e na seqüência do relacionamento vou acabar me afastando.
O que importa ter razão e sustentar essa razão com uma discussão se isso acaba por pôr em perigo o meu equilíbrio e logo também o maior objetivo da minha vida que é ser feliz?
Razão em termos absolutos não existe e isso é algo que devemos ter sempre presente quando acharmos que temos razão acerca de algo, a teoria quântica explica isso.
Para que discutir e criar instabilidade numa relação por essa razão, sobretudo quando sabemos que isso não irá levar a lugar nenhum? Ou a pelo menos a nenhum lugar que queiramos…
Não acredito que quem ama queira que a outra parte reconheça publica e inequivocamente a sua culpa. Será que quem ama pode querer “dobrar” a outra parte pela força da razão? Acho que não.
Na minha opinião, num relacionamento seja de que tipo for entre duas pessoas, a razão é inimiga da felicidade.

2 comentários:

  1. Ser feliz sempre, é a minha escolha...
    Mas te digo que não mostrar que tem razão às vezes é complicado...

    Parabéns, seu blog é lindo!

    _
    Kisses da Cah
    carolinapalmeira.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. Sempre teremos que optar com algo, e unir o útil ao agradável.
    Deus me ajuda sempre nas minhas escolhas para ser feliz.

    Obrigada Carolina pelo comentário e espero sempre contar com sua presença por aqui.

    ResponderExcluir

Deixa seu recado, sua opinião ou até mesmo seu elogio.

Tarci e a doce espera.