sábado, 23 de junho de 2012

Ser mãe


Nunca fui de chegar a imaginar que o carinho seria tanto ao passar dos dias, que esse amor nunca iria minguar pelo contrário cada vez mais cresce e se apaixona. A cada roupinha um encontro, um amor, um apego, um chamego, que ninguém tem  como explicar. Algo que cresce e não é tão notável para os outros, mas para você tudo é bem diferente e profundo. Ficamos choronas, bobonas, manhosas e tudo se explica na palavra mãe.
Ao pensar em fazer qualquer coisa, o primeiro pensamento é nele, se o bebê aquilo e talz... ele nem nasceu e você já o coloca o mais próximo de você.


***


Arrumando as malas da maternidade e olhando para a lista do que tinha para levar e colocando na bolsa, colocando entre parenteses, mala pequena é sempre do filho e a grande da mãe, correto? errado. Constatei que a mala pequena seria a minha e a maior dele, fiz uma troca rápida e pensei: "como uma pessoa tão pequena ocupa tanto espaço e precisa de tanta coisa?!" De fato acho que ele tem mais roupa do que eu, ops!


***


Passamos quarenta semanas carregando uma pessoa que nem conhecemos, e já sentimos tanto amor e dedicamos nossas vidas a ela, isso se define ser mãe. Palavra doce, que antes para nós não tinha tanta explicação para nós. Porém quando soubemos em primeira mão que seriamos chamadas de mãe, essa palavra se modifica e fica sendo a chave de tantas perguntas aliadas a muitas respostas. Então meu amor de mãe cresce, e cresce, e cresce... isso explica aquele ditado: que coração de mãe sempre cabe mais um. Um sentimento, um gesto, um amor, um filho e mais outros.


***


Meu filho um dia estarei com você em meus braços e vou ler junto contigo essa postagem sobre nós, a cada momento ansioso que passo com você junto (aqui dentro), já lhe amo e lhe conheço cada vez mais. Nesse momento. Nesse momento? Você chuta a barriga da mamãe quando está ouvindo música, quando saímos para passear, quando comemos, principalmente coisas doces. Não vou negar que você é um menino muito levado dentro da barriga, não imagino que você aqui fora será bem quieto. Essa semana que passou você ficou só de um lado na barriga da mamãe, e a bobona aqui achou incrível e o papai viu tudo. Já que falei no papai, posso dizer que ele está bastante ansioso para lhe carregar nos braços, mas quando grande.Pois ele tem medo de carregar algo tão pequeno e delicado, ele beija a barriga todos as manhãs e fala que você tem de acordar cedo para não  ficar preguiçosa igual a mamãe, (risadas). Filho a mamãe só está dormindo mais um pouco para ficar acordada quando você vir ao mundo.


***


P.S.: Eu amo vocês! (Alisson Pai e Alisson Filho)

8 comentários:

  1. Poxa que lindooo...
    É tanto amor ne amiga, não cabe nem no peito...
    Logo esse menininho vai estar ai alegrando mais ainda a vida de vocês..
    E como les precisam de coisas viu, é cada mala, isso ai é pq é so o nascimento, pensa na hora de viajar hahahahaha...
    Bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É amor que não cabe dentro de nós.
      Obrigado pelo carinho Rafa!

      Selinho para você!

      Excluir
  2. :)
    Que texto lindo Tarci.
    Deve ser inesplicavel mesmo esse sentimento. Eu sonho com isso todos os dias.


    Beijos

    ResponderExcluir
  3. Que lindo Tarci!

    Posso sentir isso tudo que você relatou!!!
    É um sentimento inexplicável...
    Somos abençoadas de mais por poder gerar dentro de nós uma vida!

    Parab~ens a nós mamães e aos papais também, pois sem eles não seríamos capaz de sentir essa emoção!

    beijinhos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acho que toda mãe é igual mesmo, choronas e sentimentais..rsrs
      Parabéns a nós!

      Selinho para vc!

      Excluir
  4. Adorei o texto Tarci !
    Tenho um selinho para ti, bem especial por sinal...
    http://9meseseumavida.blogspot.pt/2012/06/enquanto.html

    Beijinho ,o)

    ResponderExcluir

Deixa seu recado, sua opinião ou até mesmo seu elogio.

Tarci e a doce espera.